segunda-feira, 17 de junho de 2013

Tudo pela segurança

Assaltos e roubos fazem parte do dia-a-dia das grandes cidades (infelizmente). Somente na cidade de São Paulo, ocorre um roubo a cada 4 minutos, segundo a polícia. As vítimas podem ser adultos e\ou crianças. Há muitos cuidados que podem ser tomados em vários lugares no dia-a-dia, que podem reduzir bastante o risco de assaltos, mesmo quando é inevitável, algumas posturas podem ajudar a reduzir riscos e danos:


EM CASO DE ASSALTO:

      NO TRANSPORTE COLETIVO:

  •    Redobre a atenção em ônibus, trens ou metrôs com multidões, que facilitam a ação de batedores de carteira. De preferência, espere um veículo menos lotado.

  • Não fique sozinho em pontos de ônibus, em locais desertos ou mal iluminados.

  • Prefira sentar afastado do cobrador, pois costuma ser o alvo dos assaltos, por causa do dinheiro de passagem.

       NA ESCOLA:

  • Os pais devem saber quem são os amigos dos filhos e, se possível os pais deles.

  • Se os pais não poderem deixar e buscar os filhos na escola, devem orientá-los para ir e voltar junto com colegas.

  • Se a criança precisar faltar à escola, os pais devem saber onde ela está, com quem e por quanto tempo.

     NAS RUAS:

    • Se vir uma pessoa sendo perseguida, não intervenha por conta própria. Procure a autoridade policial mais próxima ou ligue para o 190.

    • Crianças não devem ficar até tarde da noite na rua.


      Não reaja. Procure lembrar as principais características do assaltante, como altura aproximada, tipo físico, roupas, traços marcantes (tatuagens, cicatrizes, etc.). Ligue para o 190, dê uma descrição do assaltante e a direção em que foi, depois registre o caso na delegacia.

     Mas também devemos ter segurança em casa, como quando for cuidar de um bebê, por exemplo: Nunca deixe-o sozinho perto de piscinas, lagos ou banheiras cheias, ele pode cais ou se afogar.       Objetos pequenos como botões e brinquedinhos também são perigosos, pois podem ser engolidos.

terça-feira, 11 de junho de 2013

pessoas prestativas

         São prestativas as pessoas que gostam de ajudar o seu próximo(as outras pessoas a sua volta), preocupando-se mais com os outros do que consigo.

       São amigáveis, carismáticas e atrativas, sendo o tipo de pessoa que os outros gostariam de conhecer. São boas como amigas e queridas onde vivem. Elas têm uma capacidade boa de perceber os problemas alheios. Preocupam-se cuidadosamente com as pessoas, cada uma de forma particular, com o objetivo de apenas agradá-las.

         São sensíveis para perceber os estados de espírito daqueles que desejam agradar. Comportam-se de maneira diferente com cada pessoa, mas não estão sendo falsos por isso. Oferecem graciosamente seu tempo e energia para ajudar outras pessoas, e suas habilidades e recursos estão normalmente disponíveis. Dificilmente se recusam a ajudar os outros e chegam a fazer sacrifícios pelos outros.

          Sentem-se mal quando não conseguem ajudar alguém. Costumam se consideram boas a ponto de não ter necessidade de competir. Consideram-se bem-intencionadas.

          Preferem lidar com a vida cotidiana e relações humanas, sendo sugestivas.

      Trabalham normalmente em áreas em que há relacionamentos com pessoas, como por exemplo vendas, relações humanas e secretariado. Por adorarem envolver-se com pessoas, atrai pessoas para perto de si, com facilidade.




quinta-feira, 6 de junho de 2013

05/06-dia do meio ambiente

 Dia Mundial do Meio Ambiente 2013: conheça a origem e os objetivos

Neste ano, a ONU chama a atenção para o desperdício de comida


Comemorado em 5 de junho, o Dia Mundial do Meio Ambiente foi criado pela Assembleia Geral da ONU em 1972 para marcar a abertura da conferência de Estocolmo. No mesmo dia, foi criado o Programa Ambiental das Nações Unidas (Unep, na sigla em inglês). O dia é considerado uma das principais ações das Nações Unidas para chamar a atenção para como afetamos a natureza.


A comida desperdiçada na América Latina poderia alimentar 300 milhões de pessoas

Em 2013, a ONU chama a atenção para o desperdício de comida. Segundo a organização, são desperdiçados 1,3 bilhão de toneladas de alimentos anualmente - o equivalente a um terço de toda a produção mundial. Somente nos chamados países desenvolvidos, são 222 milhões de toneladas desperdiçadas - quase o mesmo produzido em toda a África Submarina, 230 milhões. De acordo com o Unep, em todo o planeta, uma em cada sete pessoas vai para a cama com fome e, a cada ano, 20 mil crianças com menos de 5 anos morrem por desnutrição.

Os Estados Unidos desperdiçam US$ 48,3 bilhões todo ano

Segundo a ONU, devemos notar que, quando desperdiçamos alimentos, perdemos também todos os recursos utilizados na sua produção. Para se fazer um litro de leite, por exemplo, utilizamos mil litros de água. Para um quilo de hambúrguer, se vão 16 mil litros. Além disso, a produção de comida tem um grande impacto ambiental: ela ocupa 25% das terras do planeta e é responsável por 70% do consumo de água doce, 80% do desflorestamento e 30% das emissões dos gases de efeito estufa.



Por causa disso, a organização sugere que as pessoas escolham comidas com menor impacto ambiental, como alimentos orgânicos - que não usam substâncias químicas em sua produção. Além disso, é importante procurar produtos locais, que não causam grandes emissões em seu transporte. 

Nos países em desenvolvimento, a ONU afirma que a perda ocorre principalmente na produção e transporte. Investimentos para dar suporte aos produtores e melhorar a infraestrutura são necessários, afirma. Nas nações mais ricas, o problema está no comportamento do consumidor, que joga fora muita comida.

 


foto tirada de:http://www.blogdaale.com.br/wp-content/uploads/2009/06/pegada_ecologica.jpg

texto tirado de:http://noticias.terra.com.br/ciencia/sustentabilidade/dia-mundial-do-meio-ambiente-2013-conheca-a-origem-e-os-objetivos,808e286f8b11f310VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html